Covid-19 é debatida entre CREMERJ e hospital Gafrée e Guinle

03/09/2020

A situação crítica da saúde pública foi debatida durante uma reunião entre representantes do CREMERJ e do Hospital Universitário Gafrée e Guinle, ligado à Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), nessa terça-feira, 1º de setembro, na sede da entidade. O presidente do CREMERJ, Walter Palis, e o conselheiro Ricardo Cotta receberam o superintendente da unidade, João Marcelo Ramalho Alves, e a diretora técnica Carolina Ribeiro de Mello.

Na ocasião, além da saúde pública, foram abordados diversos assuntos, como o enfrentamento da Covid-19 no estado e a formação e a qualificação médica. Para o superintendente, foi uma oportunidade para debater temas de extrema importância para a medicina.

“Foi uma experiência valiosa falando como médico e, também, institucionalmente. Nosso hospital foi muito bem recebido e pudemos levar nossos pleitos e desafios. Falamos da atuação médica, da atual pressão que vivemos até por conta de todas as crises que enfrentamos em nosso estado. Foi um momento de debater e pleitear pautas importantes para a universidade, para o hospital e para a categoria”, frisou João Marcelo.

Para o presidente do CREMERJ, o encontro também foi de grande valia. “A direção, principalmente a técnica, é o elo entre a instituição hospitalar e o CREMERJ. É sempre bom estarmos próximos, pois isso pode auxiliar positivamente os médicos e a população. O Gafrée é um hospital de referência e atualmente tem sido muito apropriado no atendimento da Covid-19, com resultados satisfatórios em relação à sobrevida e ao tratamento. O CREMERJ está de portas abertas para que esse contato seja frequente, com ideias e propostas”, destacou.

Covid-19

De acordo com o superintendente João Marcelo, após uma considerável baixa, os números de casos da Covid-19 voltaram a subir no Gafrée e Guinle. Atualmente, o hospital conta com 30 leitos destinados ao tratamento da doença, sendo sete de CTI. Todas as vagas novamente estão ocupadas.

“Em um dia desta semana, por exemplo, tivemos mais de 30 pacientes com Covid-19 sendo atendidos em nosso ambulatório. E nós não temos emergência”, pontuou.